Emilio Miranda

Página Pessoal

Procura

Já leram esse artigo: 1286

Who's Online

We have 97 guests 1 members online

Formulário de Login



Pavelkonski do Goiás PDF Imprimir E-mail
Escrito por Emilio Miranda   
Qua, 19 de Setembro de 2007 10:59

Fui abordado por uma simpática senhora quando da minha estadia em Pirenópolis, em julho de 2007, com um pedido inusitado. (continua...)


Tratava-se de encontrar o paradeiro de parentes de seu avô um tal de Germano Frederico Pavelkonkyi. Ela viu-me mexendo num notebook e já vislumbrou a possibilidade de que eu fizesse uma procura na internet.

No primeiro momento, disse-lhe que eu era muito ocupado e que não poderia alocar tempo suficiente para tarefa. Depois de uma breve negociação, ficou combinado que eu faria uma pesquisa rápida na internet e mandaria o resultado para ela. Disse-lhe ainda que a melhor coisa a fazer seria ela pedir a alguém de lá mesmo de Pirenópolis procurar no Orkut. Monstro cibernético, o qual mantenho respeitosa distância.

Ao chegar a Fortaleza fiz uma rápida procura. Em seguida, lembrei-me que tenho um amigo descendentes de poloneses. Pedi a sua opinião, o que ele gentilmente fez.

Resolvi colocar o assunto aqui no meu blog para que tanto ela pudesse acessá-lo como para quem procurar no Google por Pavelkonki pudesse ver, quem sabe, um parente perdido. Quem quiser entrar em contato com a Esdras Pavelkonski é só deixar um comentário aqui com o e-mail que me encarrego do resto (se não quiser expor o seu e-mail é só falar que não publico o comentário). Vou anexar abaixo o e-mail que recebi do Kowalski,

De: Emilio Luciano de Miranda e Silva [mailto:emilio@---]
Enviada em: segunda-feira, 16 de julho de 2007 10:34
Para: kowa@---
Assunto: Procura por família

Tudo bem contigo? Por aqui estamos ótimos e nos preparando para entregar uma pcb para a intel.

Kowa, eu conheci uma senhora no interior de Goiás que me pediu um auxílio: ela quer ter notícias dos familiares dela por parte da família Pavelkonski. Eu não sei por que ela se engraçou de mim, pois fui bem claro, que não dispunha de tempo e saco para tal. O fato, é que propus-me a pegar alguns indícios e entrega-los a ela para finalizar o assunto.

Em síntese,
    (a) Um tal João Germano Frederico Pavelkonski baixou pelo sertão do Goiás vindo de Santa Catarina (entre as décadas de 1910 e 1930). Ele estabeleceu-se em Pirenópolis-GO.
    (b) Ela jura que ele era alemão o que daria Johann Deutsch Friederisch Pavelkonsnki (perceba a existência de um único sobrenome, designando o patronato como é comum na europa). Eu achei estranho um cara com este sobrenome ser alemão. Dai lembrei-me se ele poderia ser prussiano. Depois, ocorreu-me que um prussiano com nome de polonês não pegava muito bem.
    (c) Pesquisei no google e deu umas poucas ocorrências principalmente em Goiás e nenhum em Santa Catarina.
    (d) Entrei no google alemão (www.google.de) e não encontrei nenhuma ocorrência deste sobrenome.
    (e) Depois, troquei o "n" por um "v" (de vez em quando os imigrantes trocavam de nome ou o agente de imigração escrevia errado)e voilá, encontrei uma ocorrência para pavelkovski na Argentina. Note que a origem deste pavelkovski é polonesa.

Cara, o negócio é engraçado. Um alemão com nome de polonês. Prá mim, o malandro tentou driblar alguma coisa e escondeu isto dos descendentes. Então véio, tú podes perguntar a algum polaco antigo de POA por este elemento? Pensei que pudesse ter uma associação de polacos e ter uns velhinhos aposentados que passam o dia jogando truco e bebendo vodca escondido das mulheres.

Grande abraço,
Emilio Miranda

#############

De:     Kowa - Eletrônico <kowa@--->
Responder a:     kowa@---
Para:     'Emilio Luciano de Miranda e Silva' <emilio@--->
Assunto:     RES: Procura por família
Data:     Thu, 19 Jul 2007 17:14:34 -0300


            Grande Kamarada Emílio,

 

            Aqui, tudo bem !  Pelo que vejo, tudo bem por aí também.

 

            Com relação aos Pavelkovski, acertaste na mosca a questão da troca do “v” pelo”n”. Isto é muito comum com o passar dos anos, e com a não-conferência na hora dos registros de nascimento e, como citaste, nos registros de imigração.

            Outra troca que deve ter ocorrido foi com o(s) próprio(s) “v”(s). No alfabeto polonês não existe o “v”, somente o “w”. O original, se realmente polonês, seria Pawelkowski.  “Pawel” é Paulo e “kowski”, assim como apenas “ski”, são terminações de sobrenomes da nobreza da época Medieval. (Kowalski à kowal = ferreiro; Kowalski seria Ferreira). Desta forma, deverá ser pesquisado também o Pawelkowski.

            A questão de ser alemão com sobrenome polonês, apesar das rivalidades nas guerras, não é tão incomum. Tenho amigos de origem polonesa com sobrenome Becker. O fato da vizinhança dos países facilita estas ocorrências. Também o histórico das guerras, por várias vezes, mudou o traçado das fronteiras. Ainda, devido às guerras, muitas vezes trocavam a grafia do nome tentando negar, ou esconder, a legítima origem. Ou, até mesmo, para denotar uma determinada origem, em especial, como os judeus poloneses que utilizavam a terminação “sky” (“y” depois de “k” é um erro gramatical na língua polonesa). Enfim, todas estas hipóteses são possíveis, além, é claro, da que tu citaste, com relação ao drible do cidadão.

            Com certeza, a associação dos velhinhos tomadores de wodka existe. Contudo, no lugar de truco estariam jogando “copinho” (não lembro o nome em polonês) – jogo de 5 dados lançados com copo de couro.

            Vou contatar a galera polonesa lá do Sul, para ver se a turma tem algum conhecido. Vou mandar também para a Sociedade Polônia de Porto Alegre, para pesquisarem se há algum registro. Assim que tiver alguma notícia te comunico.
 

            Grande abraço,
            Kowa
Última atualização em Qua, 26 de Junho de 2013 16:50
 

Comentários  

 
0 #1 isadora pavelkonski 09-12-2014 20:08
Oii so estou enviando esta mensagem para dizer que tambem sou da familia pavelkonski !! Morro de vontade de conheçer todos meus parentes!
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar